Menu

Blog

Fernando Prudêncio, Diretor Neoplan, foi entrevistado para o portal “Consumidor Moderno”

Fernando Prudêncio, Diretor Neoplan, foi entrevistado para o portal “Consumidor Moderno”

No último dia 15 de março, Fernando teve a oportunidade de compartilhar sua experiência de como usar o data analytics para apoiar o período de trabalho remoto.

Com o período em que estamos passando, por conta da pandemia do coronavírus, o trabalho home office já é realidade e se tornou a saída para a maioria das empresas, entretanto, ainda existem muitas dúvidas quanto a esse tipo de trabalho e por esse motivo, o data analytics pode ser a solução e auxiliar os negócios a obterem conclusões úteis, a partir da análise, organização e interpretação dos dados acumulados durante o período de distanciamento. O Data Analytics é feito a partir da utilização de tecnologias e softwares específicos e seu principal objetivo é o auxílio na tomada de decisões – que podem ser difíceis de serem tomadas a distância.
Em outras palavras, é possível afirmar que o data analytics permite a coleta de dados referente ao trabalho desempenhado pelo funcionário – mesmo à distância. Esses dados são cruzados e podem trazer informações importantes para gestores adotarem ou modificarem suas estratégias.

O mestre em mídia e tecnologia Fernando Munhoz Prudêncio, diretor da agência Neoplan, contribui com o portal “Consumidor Moderno” com um exemplo: “As empresas podem contratar softwares para esse gerenciamento que atuam de diversas maneiras. Existe a possibilidade de monitorar a realização de tarefas por meio de ‘start/stop’ – quando o funcionário informa ao sistema quando começa ou termina um trabalho -, por exemplo. Também existem softwares que capturam a tela de x em x minutos”.

Em posse dessas informações, é possível entender que o data analytics é capaz de sistematizar e cruzar dados, comparando-os com as metas estabelecidas e com a produtividade de outros funcionários, permitindo uma análise aprofundada. Fernando Prudêncio ainda pontuou que: “Vamos supor que eu entregue a mesma tarefa para dez pessoas diferentes. Destas, 60% conseguiram entregar em um prazo interessante e 40% não. O sistema permite investigar qual é o motivo que levou esses 40% a ficar aquém da meta e identificar qual é o perfil desses profissionais, por exemplo”, detalhou o diretor da agência Neoplan.

Esse novo cenário pegou muitos negócios de surpresa e com o temor financeiro gerado pela crise trazida pela pandemia, é natural que falar em data analytics e sistemas supertecnológicos cause apreensão e até mesmo assuste alguns gestores, entretanto, Fernando ainda tranquilizou todos os gestores: “As pessoas pensam que custa caro, mas é questão de atualização de software, de mudança, de estruturação. Às vezes, é mais cansativo e moroso do que caro de fato”, ressaltou o mestre em mídia e tecnologia.

Para ler o conteúdo completo, acesse através desse link. Se ainda restar alguma dúvida sobre como usar o data analytics, envie-nos uma mensagem aqui.

Deixe um comentário